Minhas Pinturas

Seguidores

Minha lista de blogs

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Aprendendo a nadar

"O mar quebrando" óleo sobre tela 24x35 cm
Hoje estava lembrando de quando aprendi a nadar, apesar de morar perto do mar quando ia à praia ficava só na beirada me molhava e ia para o sol, me molhava de novo e lá ia eu tomar banho de sol. Não sabia nadar, e não enfrentava ondas nem pequenas. 
Levava as crianças pela manhã e ficava cuidando pela segurança deles, e temia muito que se afogassem. Nesta época morávamos numa casa com um quintal razoável e resolvemos montar uma pequena piscina, ela tinha o formato de um piano de cauda, sendo que maior uns dois metros! Mas, mesmo assim meu medo de que se afogassem quando eu não os estivesse olhando permanecia. 
Surgiu um arrependimento de fazê-la  bem maior que seu tamanho, mas sempre existe um remédio para os erros, e o remédio foi matriculá-los nas aulas de natação infantil de um clube, que ficava em meu bairro. No clube  além da piscina infantil, a de adulto era olímpica, e linda, dava muita vontade de entrar.
Ficava apreciando as crianças na aula e achava que devia ser fácil aprender a nadar, ledo engano! Comentei com as mães que ali ficavam como eu, que adoraria   entrar naquele piscinão e aprender também, e descobri que todas compartilhavam do mesmo desejo. Até que uma delas a mais extrovertida falou com o instrutor do clube, que falou com o presidente, que também era diretor, dono, e um camarada alegre e legal, assim sendo abriu inscrição para adultos, isto é para as mães ou pais que quisessem. Entrei numa turma no mesmo horário das crianças, e meus filhos achavam divertido ver a mamãe aprendendo a nadar, sendo que eles aprenderam antes de mim!!
Primeiro aprender a afundar a cabeça na água, abrir os olhos lá em baixo sem respirar pelo nariz, subir encher os pulmões de ar, e tudo de novo, e de novo, era um horror, já estava maldizendo a ideia que tive de querer tudo aquilo.
Como o número de mães aprendizes era grande, eu evitava fazer a lição, achando que o instrutor não notava, mas ele era atento como um lince, e resolveu se dedicar a me fazer aprender, ficou perto de mim afundou minha cabeça na água, uma, duas, três vezes,  eu achava que numa dessas ia morrer! No nado cachorrinho me fazia repetir até ficar ótimo, e nunca estava bom, ele devia me odiar, pensava eu, e assim foi peito, costas, mergulhos... Aí eu já estava me amando, me sentindo a tal, e recebia um olharzinho elogioso do rígido professor e a frase. "--É está indo bem, mas pode melhorar--", enquanto eu pensava vá cismar com outra, larga do meu pé...
Aprendi as modalidades exceto borboleta, tive uma inflamação de ouvido que me tirou a vontade de voltar, fiquei mesmo com a piscininha “piano de cauda” até ficar boa. Na mesma época vendemos a casa, fomos para outro bairro mais longe do mar  e mais perto do trabalho do marido, e melhores escolas para os filhos.
Mas a experiência de aprender a nadar, valeu à pena, lá fiz grandes amizades que duram até hoje, e nadei no mar, quando voltei a morar perto dele.
É a vida com situações próprias para cada ciclo, idade e tempo, esse deixou saudades foi divertida aquela época para nós.                                                                                       Léah 

23 comentários:

  1. Que bom que aprendeu a nadar
    Tmb sinto desejo de aprender. Só sei boiar. Parabéns por descrever ttomem aqui esses saudosos e lindos momentos de aprendizados. Bjs querida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Nal, aprender a nadar sozinha sem orientação é difícil e perigoso, mas aprender com profissional é muito bom, nadar faz bem para a saúde.
      Ando meio preguiçosa, mesmo com o mar aqui na minha porta, deve ser o frio (((:
      beijinhos, Léah

      Excluir
  2. rssss, você conta as coisas dramáticas com muito humor. Eu aprendi sozinha e no mar! Não sei como, talvez porque a coisa aqui no sul não tem nada de mar amigo, devido aos ventos, repuxos, mãe d'água, siris... Aí, a dor ensina a gemer. Ou você de bate ou vai pro fundo. Quanto mais perto da patagônia (Argentina e Chile) pior fica. Chamam de fim do mundo. Mas você aprendeu acho que o suficiente pra se virar quando necessário! Me viro e só!
    Muito boa tua crônica, assim é a vida, sem muito fri-fris! A gente aprende.
    Beijo grande!
    (vê teus e-mails!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é corajosa, só enfrentei o mar depois de muito treinar na lagoa de Araruama, e mesmo assim levei dois sustos quando fiquei abusada, o mar gosta de respeito.
      beijinhos, léah

      Excluir
  3. Nunca aprendi a nadar, a minha mãe colocou-me numa escola de natação quando era pequenina, mas o meu pavor era tanto, que acabava com uma crise de asma e por isso desistimos.
    Ainda hoje não consigo ter força interior para tentar aprender.
    Linda tela.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria acredito que tenha sido falta de paciência da professora de natação, vi muitas crianças assim com medo, mas conseguiram vencer e depois passaram a amar.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  4. A natação faz tão bem que devia continuar. Eu não nado nada bem e se gostava.
    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Graça eu aprendi só não sei nadar a modalidade borboleta, essa eu só sei pintar. :))
      beijinhos, Léah

      Excluir
  5. Oi Léah
    Eu nunca consegui pois não superei o meu pavor de água. Adoro praia mas gosto de caminhar na beira do mar só para molhar os pés. Água me atrai como imã mas somente pela beleza e tranquilidade que ela me proporciona
    Nadar? Nem penso nisso
    A tela do mar revolto me cativou. Belíssima!
    Beijos e um feliz domingo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Poeta;
      Acho que de um modo geral as pessoas sentem este medo, nadar é uma maravilha me dá muito prazer, mas as vezes como agora os problemas do nosso país, me deixam desanimada e até amedrontada, ou então é velhice mesmo ((: Talvez melhore no verão...
      beijão
      léah

      Excluir
  6. Bonjour chère amie,

    Je n'ai pas de souci pour nager... J'adore ça ! Je profite des joies de la piscine le plus souvent possible à la maison.
    Une petite histoire cependant en ce qui concerne mon amie/soeur Marie-Jo qui malheureusement n'est plus de ce monde aujourd'hui.
    Elle ne savait pas nager. Elle et son mari se trouvaient assis sur des rochers au bord de l'océan. Subitement une énorme vague est venue se jeter sur mon amie et l'a emportée au loin, là où elle n'avait pas pied et où il y avait beaucoup de remous.
    La force de la vague lui avait retiré son maillot de bain. Son mari a plongé pour lui venir en aide. Il a réussi à la sauver...
    Après cet évènement, Marie-Jo s'est décidée à apprendre à nager. Elle a su et j'étais fière d'elle.
    Malheureusement, une grave maladie l'a emportée depuis.
    Gros bisous à vous et bel été.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste l'histoire de son amie, la vie est tellement surprenante pour nous dans une mauvaise voie.
      J'avais très peur de l'eau, alors je suis allé apprendre à nager, mais maintenant je suis paresseux, je préfère la piscine qui est ici dans ma petite cour, c'est l'hiver et peut-être, quand l'été viendra, je nagerai dans la grande mer de mon quartier.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  7. Sou que nem pedra, aquelas que atiramos e
    afunda k.
    Mas gosto muito de observar e apreciar qualquer tipo de natureza que contenha agua, k.
    Boa entrada de mês.
    A pintura está belíssima.
    PAZ E BEM.
    Abraços
    janicce.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Janice acho que também já fui pedra kkk e apesar de ter aprendido já levei dois sustos no mar, mas foi bom para perder a vaidade e respeitar a força do mar. Agora
      estou preguiçosa deve ser a idade ): prefiro a piscina, mas só no verão. Obrigada pela gentileza,
      Tudo de bom pra você também.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  8. Eu aprendi bem cedo (com 7 anos já nadava razoavelmente). Mas nunca gostei de meter a cabeça debaixo da água, não só pela aflição da respiração como também do ruído.
    A sua tela é excelente, gostei muito.
    Um bom fim de semana, amiga Léah.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Nossa Leah agora me vi em seu lugar, porém nunca aprendi, faltou oportunidade para aprender, e ou o medo não me deixou procurá-las sou dessas que tem mede de afundar até de colete. Morro de inveja (BOA) de quem nada. Para você ter uma ideia o esporte que mais amo é o Surfe, sou capaz de ficar horas assistindo um documentário a respeito, acho lindo, maravilhoso desafiar as ondas. Quanto aos meus filhos também os coloquei cedo na natação para que alem de terem mais segurança não crescessem com a mesma frustração que eu. Ainda bem que aprendi ao menos andar de bicicleta, algo que também me dá a sensação de liberdade. Adorei!!! Parabéns por ter enfrentado seus medos.Um abraço.

    ResponderExcluir
  10. Pois é, amiga Léah, nada ficou para ser interpretado nesta sua crônica, a mar ali tão perto, a vontade de nadar, mais tarde as crianças também dispostas a aprender, tuas amiga incentivando, por fim você aprendeu a nadar.
    Depois, a mudança de casa (a vitória de ter realizado o sonho de nadar). Ficou a saudade de um tempo bom. Parabéns.
    Um abraço, Léah.
    Pedro

    ResponderExcluir
  11. Jovial e muito interessante, o seu texto... Penso que todos recordamos esse tempo com emoção.
    ~ Ps ~
    Lamento termo-nos afastado tanto...
    Não consigo explicar o que aconteceu, já que parecia haver entre nós uma empatia muito agradável e positiva...
    No dia 30 de Julho, homenageei os amigos e deixei um selo de Amizade. Gostaria muito que o quisesse aceitar...
    Terno abraço.
    ~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  12. Minha querida amiga Majo sinto muitíssimo se deixei a impressão de estar ressentida com nossa amizade, nada disso amiga, foram só circunstâncias pelas quais passei e mal conseguia chegar ao computador, quando me dispunha a comentar as postagens das amigas e a agradecer os comentários recebidos, lá vinha uma interrupção, e assim fiquei um tempo, desculpe esta encrenca, sem querer culpar e já culpando, esses acontecimentos se devem a toda esta tensão pela qual nos aqui no Brasil estamos passado, mas é justamente as amizades que nos levam a relaxar e enfrentar o dia a dia.Amei seu selo de amizade, ele já está lá lindão na nova postagem, muito obrigada por você ser minha amiga,
    Fique bem e volte logo.
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  13. Boa noite! A sua tela ficou linda, adorei! Tenho muito respeito pelo mar e gosto muito de caminhar na areia bem pertinho dele! Beijinho Léah e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  14. I LOVE your painting. You are a great artist, my friend.

    ResponderExcluir
  15. A infância será sempre o paraíso perdido!
    Belo texto e tela!
    beijinho
    หนังใหม่

    ResponderExcluir
  16. nice article great post comment information thanks for sharing.
    ตารางคะแนน

    ResponderExcluir